DISTÚRBIO DO SONO: Viver bem para dormir bem

09/05/2013 14:45

Os principais distúrbios do sono são: síndrome da apnéia obstrutiva do sono (SAOS), insônia, sonambulismo, sonolência diurna excessiva, síndrome das pernas inquietas e narcolepsia.

Esses distúrbios podem ocorrer em decorrência da obesidade, estresse e poucas horas de sono por noite, principalmente. Mas podem ser também consequência de doenças clínicas como anemia, hipotireoidismo, depressão e ansiedade. Em alguns casos têm origem genética.

Os distúrbios do sono trazem sérios problemas para o indivíduo, pois dormir bem é fundamental para o bom funcionamento do organismo. Algumas consequências são: hipertensão arterial, alterações do humor como a depressão, esquecimento, lentificação do raciocínio e, em casos mais graves, arritmias e até morte súbita.

A síndrome da apnéia obstrutiva do sono pode ocasionar sonolência importante com acidentes automobilísticos, infarto agudo do miocárdio, arritmias, e até morte súbita, em casos mais graves. O paciente apresenta um distúrbio metabólico geralmente devido à obesidade e que se caracteriza por obstruções na passagem do ar pela via aérea enquanto dorme.

Para tratar os distúrbios do sono, primeiramente, é de grande auxílio a realização de um exame chamado polissonografia. Este exame retrata como é uma noite de sono do paciente. A partir dos resultados obtidos e da história clínica, conseguimos chegar ao diagnóstico preciso e iniciar o tratamento. Este varia de acordo com o distúrbio do sono encontrado. No caso da síndrome da apnéia obstrutiva do sono (SAOS), podemos utilizar placas orais ou um equipamento que auxilia a passagem do ar pela via aérea, conhecido como CPAP. Quando o paciente apresenta insônia, fazemos uso de medicações indutoras do sono. Para as outras doenças do sono, que são menos frequentes, também dispomos de tratamentos eficazes.

Para ter uma noite de sono revigorante é importante tomar algumas medidas: alimentar-se bem, evitar bebidas alcoólicas, combater o estresse, realizar atividade física regularmente e estabelecer uma rotina de sono evitando dormir em horários diferentes a cada dia. Além disso, deve-se evitar utilizar o computador até a hora de deitar, pois a claridade da tela do monitor atrapalha a produção de uma substância chamada melatonina, dificultando a ocorrência da sonolência. Assistir programas na televisão com assuntos leves e músicas relaxantes próximo ao horário de dormir também é de grande valia.

Passamos 1/3 de nossas vidas dormindo. Esse fato já mostra a importância de se valorizar uma boa noite de sono. Infelizmente, grande parte da população já sofre algum tipo de distúrbio do sono, o que acarreta implicações muito negativas no funcionamento do organismo e nas atividades diárias. Caso você apresente alguma queixa procure um especialista.

Bons sonhos!