Clínica Neurocirúrgica

Neurocirurgia é a especialidade que se encarrega do diagnóstico e tratamento de pacientes com lesões ou doenças do cérebro, da coluna, da medula e dos nervos periféricos. Os neurocirurgiões podem realizar o tratamento clínico e cirúrgico de um grande número de doenças.

Embora a neurocirurgia seja por natureza uma especialidade cirúrgica, ao abordar doenças em praticamente todas as áreas do organismo humano dá ao neurocirurgião uma condição ímpar de cirurgião geral. Permite também o planejamento de tratamentos clínicos ou cirúrgicos de mínima invasão.

Oficialmente, a neurocirurgia é definida como uma especialidade cirúrgica que executa tratamento cirúrgico e não cirúrgico. Isto inclui: prevenção, diagnóstico, avaliação, tratamento, cuidados intensivos e reabilitação, desordens ou doenças do sistema nervoso central, periférico e autonômico, incluindo em sua atuação as estruturas de suporte e proteção, assim como seu suprimento vascular.

Os neurocirurgiões têm liderado a incorporação de novas tecnologias de diagnóstico, avaliação e tratamento de doenças complexas do sistema nervoso. O neurocirurgião não faz somente cirurgia, ele orienta tratamento clínico que inclui prevenção, diagnóstico, avaliação, tratamento de doenças neurológicas em conjunto com outros profissionais. Alguns neurocirurgiões dedicam um ou dois anos adicionais para treinamento em Áreas de Atuação.

Os neurocirurgiões são mais do que simples cirurgiões do cérebro. Estes especialistas são treinados no atendimento de emergência e reabilitação de doenças neurológicas. Por possuir treinamento extensivo no diagnóstico de doenças neurológicas, é frequentemente chamado para atender na emergência em conjunto com outros profissionais da medicina.

Neste momento, o grande desenvolvimento de equipamentos cirúrgicos para procedimentos minimamente invasivos como: microscópio cirúrgico, lasers, neuronavegador, radioterapia focada (gamma knife), assim como instrumentos como molas para oclusão endovascular de aneurismas e malformações vasculares (stents), sistemas de derivação do líquor (shunts), radiocirurgia, próteses discais e sistemas de fixação da coluna vertebral estão mudando a forma com que várias doenças neurológicas são tratadas. Estes avanços contínuos posicionam o neurocirurgião na vanguarda do desenvolvimento científico e tecnológico, permitindo que se amplie sua capacidade de resolver problemas graves com maior precisão e eficiência.